17.5.17

Um leitor quando escreve

Não tenho grande medo de errar ao afirmar que escrever nos altera a forma de ler. Quem escreve lê menos por fruição do que para explorar o que gostaria de escrever.  Quando diz: Este autor ou este livro pouco ou nada me interessam, é porque não almeja escrever aquilo, ou escrever assim. O que é entendido como distanciamento é na verdade pragmatismo. Frequentemente é, até, uma forma de manter o equilíbrio, neste funambulismo chamado escrita.

[Coda: Se gosta de ler, não procure conselhos sobre livros num blogger ou num escritor. De ninguém que escreva regularmente, portanto. Raramente, se é que alguma vez, encontrará motivo de satisfação no que lhe for aconselhado.]