13.5.17

Coisas de homem

O whiskey do Tennessee soube-me melhor do que se fosse whisky de Speyside. É coisa de homem, leitora, admito. Mas não acredite quando lhe falarem da qualidade absoluta do whisky/whiskey (a grafia depende da geografia de origem: a primeira, Escócia ou Japão, a segunda, Irlanda ou Estados Unidos). As circunstâncias em que é bebido é que contam. O resto, com o devido respeito, é apenas encenação. Não há travo a madeira exótica que resista face à companhia e ao momento certos. O tempo é a mais importante de todas as circunstâncias. O resto, são máscaras inventadas pelos homens para disfarçar a sua incompreensão e impotência face ao deslizar imparável dos dias.