22.11.16

Metalurgia dos sentimentos

Talvez um dia descubra qual o metal base das agulhas da saudade. Não que isso impeça o respetivo avanço irreversível, menos ainda me permita criar algum antídodo, inútil, mas para lhes poder dar nome, a cada agulha, para poder designá-las com especificidade, com precisão. Não as podendo vencer, saberei de que matéria são feitas e que as tornas de tal modo eficazes. O conhecimento será, ao menos, e assim me iludo, um bálsamo parcial.